sábado, 19 de março de 2011

Cigano Igor do rio Eufrates

Sou um cigano errante, Filho do sol e da Lua,
Quando nasci, me batizaram , na beira do rio Eufrates, Falaram em meu pequeno ouvido, o meu nome secreto,
Me deram tantas virtudes, das quais me orgulho até hoje.
Andei por muitos caminhos, E não encontrei o que tanto procuro, Mas não me canso de buscar, apesar dos espinhos Que ferem os meus pés , quando ainda está escuro.
Sou o filho da Lua e do Sol, Um pássaro livre a voar,
Estou aqui, ali e acolá,
Realizo caminhadas, sem nunca sequer me cansar.
Pois meu destino é andar e voar.
Voô nos meus pensamentos E vou onde me leva o vento,
Vou ao encontro do amor, Que eu sei que existe em algum lugar.
Preciso de um amor, Para encantar meus dias, Que não me esqueça e me chame,
Que grite bem alto o meu nome e o repita mais vezes… Igor!…Igor!…Igor!….
Vem para mim, vem me amar!
Sou o Rei e sou o Príncipe, de um Reino Universal
Meu reinado nunca acaba, pois a minha coroa é a vida.
Meu reino é feito de amor, de paz e de puro êxtase!
Sou o caminheiro do tempo, pois faço qualquer roteiro.
Pois o importante é nunca parar.
Sou o primeiro e o último de todos os perseguidos
Honrado ou deprezado, odiado ou simplesmente amado.
Sou o ruído e o silêncio :
sou o pranto e a alegria.
Sou o eterno caminho, sou o menino do dia e o amante doce da noite,
Sou o alívio das dores, dos corações que amam, portanto se precisares,
Basta apenas chamar pelo meu nome, nunca esqueça,
o meu nome é Igor!

Me chame…, me chame…, me chame.

Nenhum comentário:

Postar um comentário